• Supercomputador Santos Dumont fica inativo

    Por falta de dinheiro para energia, laboratório precisou desligá-lo parcialmente. Máquina projetada por empresa francesa custou cerca R$ 60 milhões aos cofres brasileiros

    A falta de dinheiro para a conta de energia fez com que o Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), do Rio de Janeiro, deixasse “de lado” o supercomputador Santos Dumont, projetado pela empresa francesa Atos/Bull.

    Inaugurado em janeiro deste ano, o equipamento com capacidade de realizar 1,1 quatrilhão de operações matemáticas por segundo custou 60 milhões de reais e possui um custo mensal de aproximadamente 500 mil reais com energia.

    A falta de recursos e o alto custo da operação obrigaram a LNCC a interromper em maio o uso integral do dispositivo, o que causou a paralisação de seis pesquisas e deixou outras 75 na fila.

    Mas o drama não para por aí, como explica o coordenador de tecnologia do LNCC, Wagner Leo, em entrevista ao IDG Now. “O aparelho está ligado, mas sem nenhum processamento”, conta.

    “Desligá-lo pode causar um prejuízo muito grande por conta da possível perda de componentes que seria preciso trocar. Por isso, estamos prorrogando ao máximo esse desligamento total”, completa, lembrando que os recursos da laboratório para manter o supercomputador ligado acabarão no fim de junho.

    De acordo com Leo, o governo do presidente interino Michel Temer prometeu um repasse de 4,6 milhões de reais para a manutenção do Santos Dumont, mas essa verba ainda não chegou até o momento.

    *IDG Now é marca registrada da IDG (International Data Group), licenciada exclusiva no Brasil pela DigitalNetwork!Brasileiros, divisão de mídia digital da Brasileiros Editora​