• Brasileiros levam inteligência artificial a motor de recomendação

    No mercado desde janeiro, startup Smarters desenvolveu serviço de recomendação por máquina que usa bots e inteligência artificial para sugerir oportunidades personalizadas para usuários

    Há na inteligência artificial um senso de oportunidade e organização que bots podem muito bem desempenhar por você. As aplicações de software que simulam ações humanas – os chamados bots – têm estado no radar de empresas como Microsoft e Facebook, que defendem que tais aplicações estarão no centro da computação e de nossas rotinas em um futuro bem próximo. Para colocar as coisas em perspectiva, pense em várias assistentes virtuais desempenhando tarefas do dia a dia que visam lhe trazer maior conforto, organização e economia. Nada mal, certo?

    No mercado desde janeiro desse ano, a startup brasileira Smarters desenvolveu uma ferramenta de recomendação por máquina que, ao usar bots e inteligência artificial, consegue entender seus usuários para depois filtrar a Internet na busca de oportunidades que se assemelham aos seus gostos e referências. E por oportunidades, leia-se shows, produtos com descontos, cursos, viagens, estreias no cinema e por aí vai.

    “Oportunidades estão por toda a Internet, mas quais delas têm realmente a ver com você?”, indaga Bruno Navarro, sócio-fundador da Smarters ao lado de Pietro Bujaldon.

    Em resumo, o algoritmo da companhia usa a interface de programação (API) do Facebook para traçar um perfil dos seus usuários. Isso significa que o seu comportamento na rede social, incluindo aí páginas e publicações curtidas, check-ins nos restaurantes favoritos e outros conteúdos compartilhados e interações criam um claro retrato de quem você é para a Smarters. A partir dessas informações, o serviço consegue encontrar o que há de atividades próximas e semelhantes aos seus gostos que estão para acontecer perto de você.

    “Imagine se você tivesse alguém que te conhecesse muito bem, como seu melhor amigo e essa pessoa estaria disponível para você 24 horas por dia. Nós humanizamos a inteligência artificial pelos agentes de recomendação. Queremos conectar as melhores oportunidades às pessoas certas no momento ideal”, defende Bujaldon.

    Big data íntimo e pessoal

    Na prática, a Smarters conta com um serviço de chat guiado por bots, esses são personificados por quatro agentes com nome e características próprias: Peter, Fani, Roxy e Kevin. São eles os responsáveis por sugerir oportunidades personalizadas. Para isso, basta que o usuário acesse o chat e os agentes entrarão em ação.

    Bujaldon e Navarro definem a tecnologia da Smarters como uma “personalização bidirecional”. Em outras palavras, a inteligência do serviço personaliza a rede para você ao mesmo tempo que você personaliza a inteligência do algoritmo.

    Cabe ao usuário avaliar se as recomendações dos bots estão de acordo com o que ele gostaria de fazer. Para isso, há réguas de avaliação no próprio chat. Esse tipo de feedback, por exemplo, ajuda a sofisticar o big data da Smarters e a deixar a ferramenta mais “inteligente”.

    “Quando eu faço esse pente fino nas oportunidades, eu retreino o algoritmo para melhorar as próximas recomendações. Pense no big data interno da Smarters, quanto mais pessoas utilizarem, isso acaba influenciando nas recomendações de todo mundo”, explica Bujaldon. A ideia é que se usuários avaliarem mal uma atividade ou uma empresa, por exemplo, todas as oportunidades atreladas a ela tenderão a ficar no limbo das recomendações.

    Vocação para negócios

    Apesar da tecnologia inicial da startup brasileira ter foco no consumidor final, ela tem despertado atenção também no mercado corporativo. A aplicação de um serviço de recomendação que usa inteligência artificial poderia atender desde publicações, como jornais e revistas ao varejo, por exemplo.

    A Smarters já conta com uma parceria com o ShopFácil, marketplace de produtos com descontos do Banco Bradesco. Batizado de “Abradacabra”, o serviço integra a tecnologia da Smarters para personalizar a busca de produtos no e-commerce.

    “O que acontece no e-commerce hoje em dia é que você vê cores e estilos que não gosta. Aparelhos que não cabem na sua casa e milhares de coisas que mesmo que você adicione filtros, da próxima vez que você acessá-lo você terá de recomeçar tudo de novo. E pior, quando você busca um produto para presente, ele vai te perseguir por toda a Internet e aquilo não representa você”, exemplifica Navarro.

    Por meio do Abradacabra, o usuário da loja virtual poderá personalizá-la para que a tecnologia busque e apresente produtos apenas que tenham a ver com o perfil dele.

    Se boas oportunidades são uma questão de timing, a Smarters prevê que sua tecnologia seja onipresente, porém discreta na vida dos usuários. A expectativa é que, no futuro, o algoritmo também incorpore dados do LinkedIn, Twitter e outras redes sociais. A ideia é que cada rede social possa dar uma visão mais personalizada e rica de quem é o usuário.

    Por enquanto, o Smarters se encontra em versão beta e para navegador. Interessados em usar a tecnologia precisam informar seu e-mail no site da startup para receber um convite para usá-la. Segundo seus criadores, a expectativa é lançar oficialmente a ferramenta em junho desse ano, incluindo sua versão aplicativo, algo que dará a tecnologia um maior nível de assertividade.